Fraldas de pano: tudo sobre elas – Parte 3: cuidados e lavagem

Oies! E ai? Já estão com os argumentos a favor das fraldas de pano na ponta da língua? Estão por dentro dos modelos e tipos que existem? Então, o post de hoje é sobre o dia-a-dia com as fraldas de pano: como usar, cuidar e lavar. Afinal, será que é tão trabalhoso assim? Será que complica tanto assim a nossa vida (já tão complicada)? Vamos ver…

(1) O momento da troca

Fraldas de pano: tudo sobre elas: cuidados e lavagem | O Nosso BlogO momento da troca de fralda de pano é basicamente igual à troca de fralda descartável, sendo que, ao invés de jogar a fralda usada no lixo, você deve armazená-la de forma adequada até a lavagem. Em casa, a fralda pode ser armazenada em um balde ou cesto de lixo. Se você estiver fora de casa, a FP pode ser armazenada em uma sacola impermeável e completamente fechada (como a da foto ao lado, específica para fraldas de pano) e, assim que chegar em casa, ser colocada no balde também.

Fraldas de pano: tudo sobre elas: cuidados e lavagem | O Nosso Blog

 

Lencinhos umedecidos podem ser utilizados, porém, é importante lembrar que o seu uso gera resíduos, portanto podemos buscar alternativas mais sustentáveis como o uso de paninhos de limpeza laváveis ou pedaços de fralda cremer com água ou um chá fraco (lavanda, calêndula, camomila), os quais podem ser lavados juntamente com as FPs. Os lencinhos da foto eu fiz no finzinho da gravidez, enquanto esperava minha pequena decidir nascer. :)

É importante que o bumbum do bebê esteja bem seco antes de vestir a FP, pois esta é uma das formas mais eficientes de se prevenir assaduras. Dessa forma, não é necessário o uso de pomadas de prevenção de assaduras como fazemos com as descartáveis. Se o bebê estiver com alguma assadura ou vermelhidão, recomendamos que se evite pomadas que têm como princípio ativo o óxido de zinco, o qual é responsável por manchas acinzentadas e até a impermeabilização das fraldinhas. Assim, uma boa alternativa são as pomadas feitas a partir de óleo de coco e óleos essenciais (como a que ensinaremos no próximo post ;) Aguardem!).

Fraldas de pano: tudo sobre elas: cuidados e lavagem | O Nosso BlogPor fim, ao vestir a fralda no bebê, é só fechar os botões ou o velcro, atentando para o ajuste dos elásticos. Eles devem estar bem tensionados, principalmente nas coxas do bebê (ao passar o dedo entre a fralda e a perninha do bebê, você deve sentir a tensão do elástico). Dessa forma, evita-se grande parte dos vazamentos. Dá pra ver pela foto do bumbum de pano do Kike que não há espaços entre a perninha e a fralda.

A quantidade de trocas depende de diversos fatores, como o tipo de absorvente escolhido (como vimos no post anterior), a idade do bebê, a sua alimentação e frequência de cocôs no dia, o clima, etc. Em média, um recém-nascido é trocado cerca de 10 vezes ao dia. Entre 3 meses e 2 anos, as trocas variam entre 4 e 7 vezes e, perto do desfralde, as trocas ocorrem de 2 a 3 vezes ao dia.

Durante o período noturno, é possível combinar o uso de fraldas e absorventes mais potentes, como dois absorventes de microfibra, ou um absorvente de microfibra envolto em uma fralda tradicional, para que o uso se estenda por até 12 horas de sono. Algumas marcas nacionais possuem fraldas noturnas, que são feitas em soft por dentro e por fora, tecido que repele a umidade, mantendo o bebê mais sequinho.

(2) Armazenagem das fraldas sujas

Após o uso, as fraldas sujas devem ser armazenadas tomando-se alguns cuidados. Para o momento da troca, é interessante ter perto do trocador um balde ou uma cesto de lixo com tampa, bem fechado, onde você possa colocar a fralda suja imediatamente, sem ter que deixar o bebê sozinho no trocador ou ter que correr com ele após a troca para jogar a fralda suja em outro lugar.

Quando você tiver um tempinho (num cochilo, durante a noite ou em um momento em que o bebê esteja entretido e em segurança) você pode transferir as fraldas sujas de xixi para um balde maior, com uma tampa bem vedada, já na área de serviço ou banheiro, onde há menor chance de alguém fuçar (xP), principalmente crianças e animais. As fraldas sujas de cocô devem ser enxaguadas para tirar o excesso neste momento e a forma como isso é feito depende da consistência do cocô. Quando o bebê só mama leite materno, o cocô é bem líquido e amarelado e ele deve ser retirado sob água corrente, com a ajuda de uma escovinha de cerdas macias, como aquelas de unha. Com a introdução alimentar, o cocô passa a ser mais pastoso e, para ser retirado e jogado na privada, podemos usar uma espátula (que pode ser feita com uma tampa plástica, como a da foto ao lado) Fraldas de pano: tudo sobre elas: cuidados e lavagem | O Nosso Bloge/ou a pressão da água de uma ducha higiênica. Quando a alimentação principal da criança é a alimentação sólida, o cocô tende a ser bem firme e se desgruda facilmente da fralda direto para a privada. Assim, pode-se perceber que a fase em que temos mais trabalho para lidar com o cocô das FPs é durante os meses de introdução alimentar. E, como tudo nessa vida, essa fase passa rapidinho. Hehehe Após retirar o coco, deixe a fralda secar um pouco antes de colocar no balde junto com as fraldas de xixi, para evitar que fungos se proliferem.

A armazenagem das fraldas sujas e já “pré-enxaguadas” pode ser feita em balde com ou sem água. Se decidir por usar água, deve-se trocá-la todo dia, descartando a água usada no esgoto. Apesar desta ser a forma mais utilizada por quem eu conheço, já vi algumas recomendações, principalmente fora do Brasil, de que as fraldas sejam armazenadas em cestos abertos e com furos grandes por todos os lados, em um ambiente com boa ventilação, para que as fraldas fiquem constantemente arejadas. Dizem que, desta forma, reduz-se o risco de mau cheiro, mas confesso que nunca tive coragem de testar. De qualquer forma, as fraldas podem ficar armazenadas até 3 ou 4 dias, até o dia de lavar.

(3) Lavagem das fraldas de pano

Entramos agora num dos pontos que mais preocupa quem cogita usar as fraldas de pano. E também um dos pontos mais polêmicos entre quem usa e fabrica. Isso porque as recomendações de lavagem tendem a variar muito de acordo com as fontes de informações que buscamos. Assim, queria pontuar algumas coisas.

Primeiro, como eu já disse anteriormente, não existe uma alternativa “ecológica” e uma “não ecológica”. Toda ação humana têm impactos ambientais e nossa função deve ser avaliar as opções e decidir por aquela que faz mais sentido de acordo com nossa rotina e nossas convicções. Eu tenho dois filhos e tive a oportunidade de seguir, com cada um deles, uma “linha” diferente de lavagem das fraldinhas e, apesar do foco principal deste post e deste blog não ser os relatos pessoais de cada uma de nós, não vou conseguir fugir de fazê-lo aqui.

A primeira forma de pensar a lavagem das fraldas de pano é que devemos usar as alternativas mais naturais possíveis, evitando ao máximo os produtos químicos presentes nos sabões e detergentes industrializados, os quais podem desencadear reações alérgicas na pele sensível dos bebês, são altamente poluentes (mais sobre isso O que são surfactantes? e Sabão em pó tem aditivo poluente) e podem reduzir a vida útil das fraldas de pano mais frágeis, como as feitas em algodão e plásticos impermeáveis. Nesta linha, acredita-se que o mais importante na lavagem das fraldas é usar bastante água, realizando dois ou mais enxágues, que seriam responsáveis por retirar a sujeira das fibras de forma “mecânica”. A maioria das produtoras e usuárias de FP no Brasil segue esta linha e recomendam, então, que a lavagem seja feita da seguinte forma:

  • No momento da lavagem, realizar um pré-enxágue de todas as fraldas, que pode ser feito a mão, no tanque, ou na máquina na função pré-lavagem (sem sabão) ou num ciclo curto de enxágue e centrifugação.
  • Em seguida, lava-se as fraldas na máquina (ou a mão, mas, nesse caso, é preciso atentar muito para que o enxágue seja bem eficiente), com pouquíssimo sabão (meia tampa de refrigerante para uma máquina média cheia de fraldas) ou com alternativas como o bicarbonatovinagre ou até detergente neutro de cozinha. O ciclo selecionado deve ser o mais longo, com enxágue duplo.
  • É PROIBIDO usar amaciante.
  • Algumas pessoas defendem o uso de óleos essenciais como os de melaleuca, lavanda e orégano que têm ação fungicida e/ou bactericida. Porém, sua ação na lavagem, assim como a quantidade necessária para que o efeito seja o desejado não são muito bem estabelecidos. É preciso estudar melhor antes de decidir pelo seu uso.

Outra forma de entender a lavagem das fraldas de pano, defendida pelo grupo americano Fluffy Love, e que está começando a ser mais difundida no Brasil atualmente é que a lavagem de fraldas de pano sujas de xixi e cocô deve ser tratada como lavagem pesada, utilizando-se os mesmo produtos de lavagem de roupas adequados e na quantidade indicada para lavagem pesada, atentando-se para um enxágue eficiente (não necessariamente duplo), para que não fiquem resíduos de produtos de limpeza nas fibras das fraldas. Nesta linha, acredita-se que a única forma de lavar profundamente, retirando os resíduos orgânicos de xixi e cocô é com o uso de sabões e detergentes que contenham surfactantes/tensoativos e enzimas. E daí que surge a polêmica: esses componentes, responsáveis pela adequada degradação dos resíduos orgânicos de xixi e cocô das fraldas que não são retirados completamente só pela lavagem “mecânica”, são justamente os mais poluentes também. Atualmente, os sabões que contém esses compostos são o Ariel e o Omo. Você pode escolher entre a versão líquida ou em pó se a água da região da sua casa for normal. Se ela for muito carregada de minerais (a chamada água dura), é melhor optar pelo sabão em pó. Preste muita atenção ao comprar o sabão, pois alguns deles têm amaciante em sua composição, o qual pode impermeabilizar suas fraldas.

Assim, a rotina de lavagem a partir desta segunda visão é:

  • Pré-enxágue de todas as fraldas, na máquina ou a mão;
  • Em toda lavagem: Sabão em pó ou líquido potentes, ou seja, aqueles que possuem em sua composição ENZIMAS e TENSOATIVOS/SURFACTANTES na quantidade indicada na embalagem para LAVAGEM PESADA e no ciclo mais longo.
  • Não é necessário fazer enxágue duplo, somente se você não confiar no enxágue da sua máquina. As fraldas devem sair da máquina com aspecto mais áspero, sem cheiro excessivo de sabão e sem nenhum vestígio de espuma.
  • É PROIBIDO usar amaciante.

Você deve pensar “Nossa, mas não se deve lavar nem as roupinhas do bebê com esses sabões, por que eu deveria lavar as fraldas dessa forma? Não ataca a pele sensível do bebê?”. Sim, esse é um risco, principalmente em bebês com maior sensibilidade e problemas como dermatite e alergias. Se você quiser testar, pode lavar uma fralda mais simples, como a Cremer, a mão mesmo, e usar por pouco tempo com o bebê. Outra precaução que você pode tomar é enxaguar mais uma vez as fraldas, principalmente nos primeiros meses.

Percebe-se, então, que não existe receita da lavagem perfeita, dado que muitos fatores podem influenciar na eficiência da lavagem. É importante, então, ir adaptando essas dicas à sua rotina, manter-se atualizado por meio de grupos e páginas na internet, onde sempre são discutidos e compartilhadas as diversas rotinas de lavagem possíveis, e estar atento aos sinais de que as fraldas estão limpas, ou seja, não devem acontecer assaduras frequentes e não deve haver mal cheiro.

É possível, ainda, unir a lavagem das FP com a lavagem das roupas comuns do bebê, desde que não se use amaciante, economizando ainda mais água e energia. Para isso, coloca-se a roupa na máquina junto com as fraldas logo após a etapa do pré-enxágue e segue-se a lavagem e secagem de costume.

Como eu disse, com o meu primeiro filho eu segui a linha de usar pouco sabão e muita água e, aparentemente, eu estava bem satisfeita com a lavagem, mas, com frequencia, eu tinha problemas com um mau cheiro absurdo, que atacava assim que ele fazia o primeiro xixi na fralda. Era um cheiro muito forte de amônia com sujeira e não era a toa: as fraldas estavam com resíduos de sujeira mesmo! Ai eu tinha que tirar um dia todo para fazer uma lavagem super profunda, fervendo todos os absorventes e lavando com água sanitária, bicarbonato, vinagre e tudo o que tinha direito. Elas pareciam novas até tudo se repetir dali a 3 ou 4 meses. Ok, não era o fim do mundo e eu aceitava como o ônus da minha escolha.

Agora, com a Laura, descobri a nova forma de lavar logo que ela nasceu e passei a lavar todas as fraldas com sabão em pó. A principio, as fraldas pareceram “piorar”, porque eram as mesmas fraldas que vieram do Kike, ou seja, cheias de resíduos de 2 anos de uso. Esses resíduos saíram completamente só após a terceira ou quarta lavagem e, desde então, estou muito feliz com a limpeza das minhas fraldas. Laura está com 1 ano e 2 meses e eu NUNCA precisei fazer uma lavagem profunda e nem usar nenhum outro tipo de produto de limpeza nelas, pois o sabão dá conta tranquilamente do serviço. Assim, eu acho que, olhando de forma mais global, eu acabo economizando em produtos químicos, a medida que a lavagem é mais eficiente. Eu só demorei para acertar a quantidade de sabão correta, pois minha máquina é de abertura frontal e a quantidade indicada na embalagem dos produtos é para máquinas de abertura superior, que produz menos espuma.

(4) Secagem

A secagem das fraldas de pano não tem muito segredo. É só seguir com a secagem de costume na casa. Se você tem máquina de secar, pode colocar as fraldas feitas em PUL direto, juntamente com os absorventes, em temperatura normal. Já as fraldas mais frágeis, de algodão e plástico impermeável, devem ser secas em máquina somente na temperatura baixa ou nos últimos minutos da secagem dos absorventes. Mesmo assim, sua vida útil pode diminuir.

Fraldas de pano: tudo sobre elas: cuidados e lavagem | O Nosso Blog

Solução criativa da Andressa Franco pra fazer o espaço do varal render! (Detalhe: a Andressa é mãe dos gêmeos Jonas e Joaquim, além da primogênita Isabel, e é super adepta das FPs. Quem quer, consegue! ;) )

No varal, é preferencial que as fraldas sejam secas ao sol, com a o interior voltado para cima. O sol, além de um potente alvejante, tem ação bactericida (Já dizia o ditado que “em casa que entra sol, não entra médico” hehehe). Mas preste atenção para não deixar as fraldas (assim como as roupas em geral) “esturricando” no sol, o que pode fragilizar as fibras dos tecidos. Se você não tiver sol no seu varal em casa, não tem problema. Só atente para que as fraldas e os absorventes tenham bastante espaço entre eles para que fiquem bem arejados durante a secagem. Em cidades ou épocas mais úmidas, você pode contar com a ajuda de um ventilador na área de serviço, para agilizar a secagem.

 

(5) Guardando as fraldas

Guardar suas fraldinhas é o mais tranquilo e flexível possível. O único cuidado é ter certeza que elas estão completamente secas antes de guardar, assim como o armário e/ou gaveta. De resto, só vamos dar umas diquinhas que podem facilitar sua vida :)

Fraldas de pano: tudo sobre elas: cuidados e lavagem | O Nosso BlogVocê pode já guardar as suas pockets recheadas, ou seja, com o absorvente inserido. Assim, na hora de vestir, é só prender como uma descartável e pronto! Pra mandar pra escola e pra casa da vovó, da tia, etc. também é o jeito mais prático e seguro (de não ouvir reclamações hehehe). Os absorventes dobráveis e as fraldas tradicionais já podem ser guardadas pré-dobrados, ou empilhados.

E é isso, gente! Pode parecer uma trabalheira lendo, assim. Afinal, a gente não lê com esse nível de detalhes como fazer as coisas mais básicas como uma panela de arroz, tomar banho lavando os pés, atrás da orelha, o cabelo… hehehe Imagina como seria um texto sobre essas tarefas. E, assim como elas, a tarefa de cuidar e lavar as nossas fraldinhas rapidamente se encaixa nas nossas rotinas e nós nem percebemos mais. Pensando na minha semana, imagino que eu gaste, no total, 1 hora e pouco com todo esse processo: 5 minutos por dia para enxaguar e armazenar as fraldas, 15 minutos a cada 3 dias colocando as fraldas na máquina mais 5 minutos estendendo-as no varal e 15 minutos montando-as e guardando. Acho que eu gasto mais tempo comprando fraldas descartáveis, contando o tempo que gasto pesquisando onde está com preço bom, indo até lá, escolhendo e fazendo as contas das fraldas com melhor custo/benefício! Hehehe

Segue abaixo um esqueminha resumido dos cuidados que você pode, inclusive, imprimir e deixar colado na área de serviço ;)

Fraldas de pano: tudo sobre elas: esquema de lavagem | O Nosso Blog

Desejo sucesso pra vocês e, se der certo ou se descobrir algo de novo, vem contar pra gente! Vai ser muito legal reavaliar nossas ideias com a ajuda de vocês!

Beijos e até a próxima semana com post especialíssimo! ;)

Leia também:

Fraldas de Pano: tudo sobre elas – Parte 1: por quê usar

Fraldas de pano: tudo sobre elas – Parte 2: modelos

Fraldas de pano: tudo sobre elas – Parte Final: Pomada Caseira para Assaduras

7 ideias sobre “Fraldas de pano: tudo sobre elas – Parte 3: cuidados e lavagem

  1. Pingback: Fraldas de pano: tudo sobre elas - Parte 2: modelos -

  2. taissa

    Oi,adorei suas explicações! Estou começando agora e cheia de dúvidas… Me tira só uma dúvida,você faz a pre lavagem e deixa de num balde até irem para máquina. Minha dúvida é,você coloca fralda e absorventes úmidos no balde? Isso não faz dar fungos? Será que pode me ajudar a entender este processo melhor…

    Responder
    1. Carol Neves Autor do post

      Olá Taissa!!! Tudo bem?
      Muito obrigada pelo comentário! :)
      Obrigada pela sua pergunta, pois me fez reler o post e perceber que não deixei claro que somente as fraldas de cocô são pré-lavadas logo após tirar do bebê. As fraldas de xixi podem ficar direto no balde. Já vi alguns comentarios nos grupos argumentando que a própria amônia do xixi não deixa os fungos se proliferarem. Mas no caso da fralda de coco e enxaguada, essa é realmente uma preocupaçào. Quando está longe do dia da lavagem, eu as deixo secar, sim, antes de colocar no balde junto com o restante. Com as fraldas só de xixi eu nunca tive problema de mofo! Mas com as fraldas molhadas de água somente, sim.
      Vou atualizar o post com essa recomendação. Obrigada!
      Abraços,
      Carol.

      Responder
  3. Fernanda

    Olá Carol!
    Gostei bastante do post! A melhor forma de lavar as fraldas parece ser um assunto bem controverso…Rss
    Tenho sofrido com o cheiro de amônia nas fraldas e fiquei com vontade de experimentar a lavagem pesada. Qual a quantidade de sabão que você usava? A minha máquina também é de abertura frontal.
    Obrigada!!

    Responder
    1. Carol Neves Autor do post

      Olá Fernanda!!!
      Obrigada pelo feedback!!!
      Pois é, é controverso mesmo!!! Hehehe
      Olha, a medida que eu me acostumei a usar foi 2 colheres de sopa de omo em pó. Com essa medida, fica tudo ok, as fraldas saem da máquina sem cheiro nenhum, nem de sujeira, nem de sabão. Mas lembre-se do que eu escrevi no post: nas primeiras lavagens as fraldas parecem ficar mais sujas do que antes. Isso se deve aos resíduos acumulados saindo para a superfície dos absorventes, principalmente. Entao vc vai sentir a limpeza mesmo só lá pela 3a. lavagem.
      Se puder, vem contar para a gente da sua experiência depois.
      Beijos, Carol.

      Responder
  4. Juliana Chiesse

    Oi mães! Sempre me questionaram sobre a sustentabilidade de se usar FP se precisa usar tanta água para a lavagem e também tive dificuldade em lidar com o cheiro de amônia. O que tem dado certo ultimamente está sendo enxaguar as fraldas do dia na água da banheira! Deixo as fraldas no banheiro e, após o banho da pequena, enxaguo (seria uma pré-lavagem) as fraldas ali mesmo no box ou levo a água p a lavanderia. Assim posso deixar mais um ou dois dias p lavar na máquina ou na mão, sem cheiro nem manchas nos absorventes! E a água dos enxágues (que agora só tem sabão, a sujeira “grossa” ficou nas primeiras lavagens) eu aproveito para lavar outras roupas (não “sensíveis” , é claro.).

    Responder
    1. Carol Neves Autor do post

      Que legal, Juliana! É uma boa alternativa, mesmo. Eu tb sempre busco unir a lavagem das fraldas com outras roupas ou reutilizar a água que não esteja com cocô. Com certeza, a preocupação com a água deve ser primordial. Não é porque diminuímos o nosso impacto com o lixo, que temos o “direito” de relaxar nos outros aspectos. Obrigada pelo seu depoimento! Beijão

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>